segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

"Jardim de Alfazema" de Jude Deveraux [Opinião]


Nome: “Jardim de Alfazema”

Autora: Jude Deveraux

Nº de Páginas: 354

Editora: Quinta Essência

Sinopse: “Jocelyne Minton é uma mulher dividida entre dois mundos. A mãe estudou em colégios particulares e frequentava as melhores salas de chá, mas acabou por casar com o biscateiro local.
Joce tinha apenas cinco anos quando a mãe morreu e, quando o pai volta a casar, a criança sente-se mais só do que nunca - até que conhece Edilean Harcourt que, apesar de já não ser uma jovem, compreende Joce melhor que ninguém.
Quando Miss Edi morre, deixa à amiga todos os seus bens, incluindo uma histórica mansão do século XVIII e uma carta com pistas para a jovem decifrar um mistério que remonta a 1941. Na carta, Miss Edi também revela que encontrou o homem perfeito para Joce, um jovem advogado. Joce fica chocada ao saber que a mansão e o futuro amor da sua vida se encontram em Edilean, de que nunca ouvira falar. Curiosa perante esta reviravolta do destino, Joce muda-se para a pequena cidade , decidida a dar um novo rumo à sua vida.
Em Edilean, todos conhecem a história da jovem e já delinearam o seu futuro, incluindo o homem com quem se deverá casar. Acontece, porém, que Joce tem as suas próprias ideias acerca do homem que terá de conquistar o seu coração e o que fazer aos segredos que ninguém quer ver divulgados. Mas, quando estes lhe revelam parte da sua história, o certo é que a vida parece ganhar uma nova cor…
Em Jardim de Alfazema, Jude Deveraux retrata as paixões, as intrigas e os segredos de uma pequena cidade e dá início a uma extraordinária série centrada em Edilean”

Opinião: Jude Gilliam nasceu a 20 de Setembro de 1947, em Fairdale, Kentucky, EUA. Licenciada em Arte pela Universidade de Murray, foi professora durante alguns anos, acabando por se dedicar exclusivamente à escrita. Com o pseudónimo de Jude Deveraux já conta com mais de 30 romances publicados, que constaram na lista dos livros mais vendidos do New York Times, tendo inclusive vendido mais de 50 milhões de exemplares em todo o mundo.

“Jardim de Alfazema”, que dá início à série Edilean, que conta até ao momento com 9 volumes, foi editado inicialmente em 2009 e traduzido na língua de Camões no ano seguinte pela Quinta Essência.

Jocelyne Minton perdeu a sua mãe quando tinha 5 anos e quando o pai voltou a casar, viu-se inserida num núcleo, que sentia que não lhe pertencia e que ninguém a compreendia. Contudo, tudo muda quando conhece Edilean Harcourt, tornando-se inseparáveis. Quando Miss Edi falece, Joce é a destinatária de todos os seus bens, constando dos mesmos uma mansão do século XVIII e um passado repleto de segredos. Com o testamento, é deixado igualmente a Joce uma carta, onde Miss Edi admite ter encontrado o par ideal para a sua amiga e assim a jovem parte para o desconhecido, à procura de respostas da vida da sua velha amiga e quem sabe de um possível amor.

Esta obra marcou a minha estreia com a escritora, contudo há bastante tempo que já me suscitava interesse, devido à aceitação fantástica que teve pelos leitores portugueses e confesso que fiquei agradavelmente surpreendida. Apreciei a forma como a narrativa nos consegue prender, não só porque desejamos saber mais sobre como irá Joce adaptar-se a uma nova realidade, numa pequena cidade que não conhece, mas também relativamente às escolhas que irá tomar no que se refere à mansão e também no que concerne ao seu coração. Tendo sido igualmente prazeroso desenrolar o mistério em volta de Miss Edi, da sua história de vida e paixões perdidas no tempo, que adorei conhecer e que adoraria ter visto mais desenvolvidas.

Relativamente às personagens, apreciei Joce, considerei que ela conferiu jovialidade à história e tornou a obra bastante engraçada. Embora, por vezes achasse que ela era um pouco desbocada e comunicasse demasiado à vontade com pessoas mais velhas que ela, o que, por vezes, me pareceu estranho. Quanto a Luke foi a minha personagem masculina preferida, pela forma descontraída como sempre comunicou com Joce e a sua despretensão, tendo-me agradado sinceramente mais do que Ramsey, primo do mesmo, que me parecia menos verdadeiro.

Quanto às restantes personagens secundárias, gostei de Sara, da sua simplicidade e pela forma como se relaciona de modo tão natural com Joce, quase como se conhecessem desde sempre, mas sem ser um desenvolvimento forçado, e de Tess, porque apesar de tudo o que pensam e idealizam dela, por ela ser diferente e independente, no fundo é uma caixinha de surpresas e bastante carismática.

Numa escrita simples, conjugando na perfeição o presente e o passado, Jude Deveraux apresenta-nos uma história que conjuga mistério, aventura, romance e algum humor, que me prenderam. Tendo sido o aspecto mais positivo da obra os flashbacks da vida de Miss Edi, que conferiram à obra um toque muito especial.


Avaliação: 3/5 (Gostei!)

4 comentários:

  1. Olá,

    Hum vejo que é um bom livro, mas não foi aquele livro que te tenha enchido as medidas :)

    Bom comentário como habitual ;)

    bjs e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Paulo. :)

      Gostei do livro e não lhe encontrei assim grandes defeitos, embora tenha aprendido a gostar da personagem principal feminina aos poucos, mas também não o achei inesquecível. Foi daquele género de livros que me agradou, prendeu e me proporcionou boas horas de leitura. :)

      Obrigada. Beijinhos e boas leituras

      Eliminar
  2. Olá Rita :)

    Há imenso tempo que tenho curiosidade para ler algo desta autora. Talvez comece por este, gostei da opinião.

    Beijinhos e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Sara :)

      Também tinha curiosidade, pois sempre ouvi maravilhas dela. Acho que este não desilude e que é agradável, por isso se começares por este, que até está a um preço óptimo em formato livro de bolso (que é a minha edição), espero que gostes tanto quanto eu ou mais ainda. :P

      Beijinhos e boas leituras

      Eliminar